Aviso importante!

Blog em reforma!
As 260 postagens do blog estão passando por análises e reformatação. Todas estão arquivadas e serão republicadas aos poucos, conforme forem formatadas.
Em Abril de 2018 estará tudo normalizado.

01 de Fevereiro de 2018



sábado, fevereiro 23, 2013

Habla sí puedes - Violetta - Disney Channel





Si es que no puedes hablar
No te atrevas a volver
Si te quieres ocultar
Tal vez te podria haber
El amor que no sabe a quien y que
Hablarà si tu verdad
Te abrazaré otra vez

Habla si puedes
Grita que sientes
Dime a quien quieres
Y te hace feliz

Si no puedes escuchar
Anque insiste hablaré
Si lo quieres mìrame
Y tus ojos hablaré tal vez
Sentiras, el amor iré tras el
Hablaras si tu verdad
Te abrazarà otra vez


#TFP - Trecho (A Cor da Ternura - Geni Guimarães)

 

Venho hoje citar um trecho, que marcou minha vida. Nele eu pude me identificar, assim como outros leitores que leram esse livro, também se identificaram.
O Trecho é da escritora Brasileira Geni Guimarães em seu livro intitulado "A Cor da Ternura".
Enfim, o trecho.

"Quando eu perguntava de que cor era o céu, me respondiam o óbvio: Bonito, grande, azul etc. Não entendiam que eu queria saber do céu de dentro. Eu queria a polpa, que a casca era visivel. Por isso que resolvi manter contato com as pessoas só em casos de extrema necessidade. " A cor da Ternura (Capítulo 3) Por: Geni Guimarães.



quarta-feira, fevereiro 20, 2013

Até onde você iria para realizar um sonho?



Até onde você iria para realizar um sonho?

Será que seria capaz de matar? Teria coragem de deixar quem mais ama? Se fosse preciso mudar de personalidade, você mudaria?

O que você quer está em suas mãos, mas alguém está desejando o mesmo que você. Esse alguém é diferente demais de você, aparentemente, muito mais forte, mais ambicioso, de muito mais malícia. Você percebe que precisa mudar.
Mudou.
Agora o outro alguém fugiu, e fugiu levando o seu sonho. Você precisa ir atrás, tem de escolher deixar quem mais ama.
Deixou.
O adversário não quer entregar o sonho que também é dele a você. Ele se sente ameaçado demais e decide tirar você do jogo, quem seria o mais forte? Quem mataria?
Vem então a parte mais ignorante. Deixar somente nas mãos de D-s, mas se o adversário também colocou nas mãos dEle? Se ele fez o mesmo para merecer? Se ele, além de pedir, corre atrás muito mais que você? Ficaria parado esperando a ajuda dos céus, apenas?
Nomeando agora fortemente os adversários..
Se o inimigo fosse nada mais nada menos que o diabo?
Se o inimigo fosse alguém de sua família?
Se fosse o próprio D-s?
Mas e se esse inimigo fosse você mesmo? Valeria apena mudar, abandonar, matar?

Quem põe limites em seus desejos é você. Você pode ser o fraco, ou pode ser o forte.
Lembre-se "Não adianta olhar pro céu, com muita fé e pouca luta"

Você tem limites?
Você tem sonhos?
Você tem desejos?
Até onde iria para realizar um sonho?

segunda-feira, fevereiro 18, 2013

#TFP - Trecho (De repente, nas profundezas do bosque - Amóz Oz)



Escolhi um trecho que falasse algo real, mas que várias pessoas não compreendem. O trecho é coerente com a Carta#1 , já que é do escritor israelense Amóz Oz.



" A realidade não é apenas o que o olho vê e não somente o que o ouvido escuta e o que a mão pode tocar, mas também o que se esconde do olho e do toque dos dedos e se revela ás vezes, só por um momento, para quem procura com os olhos do espirito e para quem sabe ficar atento e ouvir com os ouvidos da alma e tocar com os dedos do pensamento " De repente, nas profundezas do bosque (Capítulo 11) Por : Amóz Oz

domingo, fevereiro 17, 2013

Carta#1: Carta para o mundo criado por Amóz Oz


 Itapecerica da Serra, 17 de fevereiro de 2013.


Caro mundo criado por Amóz Oz, nomeado e intitulado como "De repente, nas profundezas do bosque", venho por meio desta dizer o quando sinto saudade de vocês, personagens.
O Narrador foi tão incrível em descrever as ações, as imagens, os lugares e os personagens.
Quero revelar que sinto falta da aldeinha que vivia Maia e Mati, esses dois aventureiros que descobriram a verdade sobre o porquê haviam desaparecido todos os animais, desde a menor formiguinha até a gigante girafa.
Não me recordo muito bem, mas se não me engano, Nemi tinha doença do Relincho, espero que já tenha se tratado, e quanto a Nemam ... Ah, Nemam, todos o chamavam de "Nehi, O demônio das montanhas", quando na verdade, deveria ser chamado mesmo era de anjo.
Mundo criado por Amóz Oz, obrigado por ter me ensinado coisas valiosas. Você durou cento e trinta e nove páginas, demorei uns seis dias para te ler, mas acredite que aprendi muito e, uma frase que não esquecerei está cravada no meu pensamento: "Não liguem, continuem tentando dizer mais e mais".
Agradeço-lhe muito, livro!
Espero poder entrar mais vezes nesse mundo e que não demore muito para me enfiar na história de vocês mais um vez.

                                                                                                                                        Atenciosamente
Leitor, Gabryel Fellipe

  

sexta-feira, fevereiro 15, 2013

#TFP - Parágrafo (Sherlock Holmes em : Um Estudo em vermelho - Conan Doyle)



" - Veja - explicou -, acho que o cérebro do homem é originalmente como um pequeno sótão vazio, que temos de abastecer com a mobília que escolhemos. Um tolo pega todo e qualquer traste velho que encontra pelo caminho, de modo que o conhecimento que poderia lhe ser útil fica de fora por falta de espaço ou, na melhor das hipóteses, acaba misturado com uma porção de outras coisas, o que dificulta o seu possível emprego. Mas o trabalhador de talento é muito cuidadoso a respeito do que coloca no seu sótão-cérebro. Só acolhe as ferramentas que podem ajudá-lo a realizar o seu trabalho, mas dessas ferramentas ele tem a enorme coleção, e tudo disposto na mais perfeita ordem. É um erro pensar que o pequeno quarto tem paredes elásticas e pode se distender em qualquer dimensão. Acredite, chega uma época em que para cada novo conhecimento é preciso esqueçer alguma coisa que se conhecia antes. É da maior importância, portanto, não ter fatos inúteis empurrando para fora os úteis. " Sherlock Holmes em: Um Estudo em vermelho (Capítulo 2 - A ciência da dedução) Por : Conan Doyle.


terça-feira, fevereiro 12, 2013

Algo sobre: Alice no País das Maravilhas

  

 Eu queria ser como a Alice!

   A Imaginação de uma criança pode ser embaraçosa, cheia de nós, uma verdadeira balburdia, mas não deixa de ser interessante.
   Lendo 'Alice' eu percebi que ás vezes, o que mais parece não ter sentido é a coisa mais importante.
   Ah! Como eu queria correr atrás de um Coelho Branco!
   Quão interessante seria dialogar com um sorriso!
   Seria apavorante falar com animais!
   Seria incrível tomar chá com uma Lebre de Março e um Chapeleiro que faz charadas sem resposta, e um rato que, mesmo acordado parece que só dorme.
   Estranho mesmo seria conversar com uma tristonha Tartaruga com cara de bezerro, mas vontade mesmo é de conversar com uma lagarta sábia.
   Me acharia muito valente se passasse por cima das ordens de um rei, e eu me sentiria um "Chefão" se conseguisse retrucar uma rainha vermelha que vive dando ordens para cortar a cabeça dos surpreendentes seres do País das Maravilhas.
   Quem não queria ser como a Alice? Eu queria ser como a Alice!