Aviso importante!

Blog em reforma!

As 230 postagens do blog estão passando por análises e reformatação. Todas foram arquivadas e estão sendo republicadas aos poucos, conforme forem formatadas.

Em Abril de 2018 tudo estará normalizado.

01 de Fevereiro de 2018

Última atualização: 02/Março/2018 - 12h45



sábado, abril 27, 2013

#Resenha - Tristão e Isolda - Adap. Helena Gomes.

Pode o amor ser mais forte (valioso) que a vida?


A história de Tristão e Isolda se tornou uma lenda.
Contada desde os povos antigos, ninguém saberia dizer se foi uma história real, mas todos concordam que é uma bela história.
Reescrita por vários autores, tive a oportunidade de ler a versão adaptada pela autora brasileira Helena Gomes.


Tristão de Lyonesse é o herdeiro do trono que foi tomado por Morgan, o assassino de seus pais. Porém, Tristão é escondido por Rohald, que o faz de filho para poder protegê-lo. Rohald contrata Gorvenal para cuidar de ensinar táticas de lutas para Tristão.

Através dos ensinamentos de Gorvenal, Tristão aprende a ser valente, matando dragões, vencendo gigantes e tantos outros bastantes, só não aprende a vencer uma coisa, o Amor.

Isolda, filha de Gurmun, o rei da Irlanda, faz o coração de Tristão se apaixonar. Mas essa paixão forte entre os dois é o problema que acarretará em muitas tragédias. Ah, eu odeio o Frocin.


Esse livro me fez pensar em Amor impossível, mas inevitável e com certeza se tornou o meu romance favorito.
Não tenho o que maldizer do livro, os cenários são interessantes, existem várias cenas impactantes, e os personagens são bem intensos, mas não descontroladamente.
Ficção fantástica, sim! Mas que gera desconfiança se talvez não foi tudo uma verdade, até mesmo quando se trata dos dragões, afinal, quem não tem que enfrentar dragões nessa vida?


Místico! Interessante! Fantasia épica, fantástica!
E Alegado! O amor pode ser maior (mais valioso) que a vida!


quinta-feira, abril 25, 2013

#Tag 2 - Alfabeto Literário




Nessa tag um blogueiro indica a outro blogueiro cinco letras do alfabeto, o indicado deve realizar a tarefa de escolher um livro para cada uma das letras, sendo que os títulos de cada um dos cinco livros escolhidos devem começar com a letra recebida. Os artigos definidos "O" e "A" não contam.

O blog que me indicou a tag foi o do Paulo Henrique do Além de Sheakspeare;
As letras que recebi são: M, E, G C e D.
Vamos lá.



(M) O Mundo de Sofia - Jostein Gaarder

Escolhi esse livro, primeiramente, por ser o maior livro que li até hoje.

Uma história da filosofia, protagonizada por Sofia Amdusen, Alberto Kang, Albert Knox e Hilde.





(E) Eu, Bruxa - Regina Drummond

Um livro infantil. O 2º livro que li em 2013.

O livro conta a estória de uma bruxa que, depois de ter o seu gato morto, resolve viajar no tempo encontrando coisas modernas que, por seu achar, a torna uma moça ingênua. O clímax começa quando a bruxa descobre o Amor.




(G) Grande Sertão: Veredas - João Guimarães Rosa

Porque eu nunca consegui ler esse livro inteiro, em nenhuma das mais de três tentativas.







(C) O Cortiço - Aluízio Azevedo

Um livro brasileiro bom demais!








(D) Dom Casmurro - Machado de Assis

O primeiro livro "de gente grande" que eu li.










Indico a Tag para..

Ler e Imaginar - Letras E, F, L, H e J

Meu livro e Eu - Letras C, E, L, M e R

Mais uma página - Letras B, C, D, P e T


quinta-feira, abril 18, 2013

#TFP - Frase (O Quinze - Rachel de Queiroz)





Aqui estão algumas Frases e trechos de um livro muito legal que li há um tempão atrás.



"Quem come a carne tem de roer os ossos" Capítulo 1

"Por que, em menino, a inquietação, o calor, o cansaço, sempre aparecem com nome de fome?" Capítulo 7

"Então ser superior é renunciar ao seu feitio e a sua vontade e, recortando todo o excesso de personalidade, amolar-se á forma comum dos outros." Capítulo 8

"Tô tum fome! Da tumê" Capítulo 9

"Uma cabra, uma cunha á toa, de cabelo pixaim e dentes podre!" Capítulo 11

"Ela não quiz tratar do gado mode a seca, e mandou abrir as porteiras... E eu fiquei sem ter o que fazer. A morrer de fome lá, antes andando" Capítulo 15

"Por que vocês não vão para São Paulo? Diz que lá é muito bom... Trabalho por toda a parte, clima sádio... Podem até enriquecer" Capítulo 19

"Não sei amar com metade do coração" Capítulo 23

"De que serve a gente pensar numa pessoa, desejar tanta coisa... sai tudo diferente" Capítulo 24



#Tag 1 - A Vida e Eu


Essa Tag foi enviada pela Michelly Santos do Blog Mais Uma Página

Então vamos lá responder a primeira Tag no blog.


A Vida e Eu


  • A vida é: Uma Passagem;
  • O mundo está precisando de: Sabedoria;
  • Se você fosse um pássaro seria um/uma: Águia;
  • Para você as sete maravilhas do mundo são: Livros, teatro, crianças, natureza, lua, Rowling, sorrisos;
  • O lugar mais bonito que você já conheceu é: O Alto da Serra indo para Cubatão;
  • Um dia frio combina com: Ler um bom livro, enrolado no edredom e com chocolate quente ao lado;
  • Lua ou sol? Lua;
  • A melhor estação do ano é: Amo o verão, pela imprevisibilidade;
  • O passado deixou: Mágoas, saudades, revoltas e boas lições;
  • O presente trouxe: Auto-estima;
  • O futuro será: Uma surpresa;
  • Uma data inesquecível: 01 de Dezembro de 2010;
  • Qual o melhor dia da sua vida? Vivendo todos, sabe!
  • Qual é o melhor dia da semana? Sábado.
  • Você por você: Imprevisível.

sábado, abril 06, 2013

#Resenha - O Fantasma da Ópera - Gaston Leroux

Gabryel Fellipe

O Fantasma da Ópera, de Gaston Leroux



Esse livro começou um tanto que misterioso.

Eram mistérios espalhados e acrescentados a cada página. Mistérios aterrorizantes, que davam medo, incerteza, desconfiança.
O Fantasma da Ópera realmente existiu?

Com tantos mistérios, quando um capítulo para de acrescentar suspenses novos, dá até um desapontamento, mas não demora muito para voltar as emoções fortes.
A medida que a leitura do livro vai avançando, descobrimos cada vez mais sobre os ocultos, vai surgindo revelações e explicações e no final do livro, um sentimento contraditório aparece.
Será mesmo que o Fantasma da Ópera existiu e que sequestrou Christine Daaé? Será mesmo que ele a ensinou cantar como os anjos e que foi capaz de tudo por amor?


Quem ler este livro vai se deparar com um clímax intenso, vai parecer estar dentro do livro, sentindo ódio, raiva, amor e muitas sensações misturadas.


Nota:

Eu achei ter aprendido a odiar Érik, mas não! Eu aprendi a entendê-lo.
Ele só queria ser como nós humanos, mas a sociedade é estúpida demais dando mais importância para a beleza exterior.
Por culpa da própria humanidade, Érik teve de crescer mentalmente com pensamentos de vingança e ódio, e quando aprendeu a amar alguém, a maldade que aprenderá e passara, se elevou ao máximo para não perder a pessoa a quem amava.