Está voltando!

Aguarde novo conteúdo.
Vem Abril!!!

segunda-feira, dezembro 30, 2013

Minha Retrospectiva literária - Livros 2013 (1/5)





Em Janeiro, o Confins Literários terá uma série de postagens dos livros que li no ano de 2013! Acontecerá do dia 01 de Janeiro de 2014 e vai até o dia 04, onde terá o fechamento com o post Awards 2014 dos livros lidos em 2013! Será a Coluna: Livros 2013!

segunda-feira, dezembro 23, 2013

Fechamento da Coluna Dezembro Sentimental, a coluna dos Pseudônimos.

Pum - A Coluna dos PseUdôniMos!


Dezembro Sentimental, a coluna dos Pseudônimos, em Finale.


O intuito dessa coluna já foi postado no blog (Clique aqui).

A coluna se iniciou do nada, sem nenhum aviso mas com muitos planos. Eu e mais outras quatro pessoas resolvemos começar a nos permitir escrever, então começamos a nos apoiar e levantar planos para que nos descem empurrõezinhos.

quinta-feira, dezembro 19, 2013

Dezembro, sentimental - Pequena proclamação sentimental por Sherman Cainampos

Pequena proclamação sentimental

Antes do casamento


É verdade que vamos unir nossas forças. Enfim nos tornaremos apenas um. Poderei acordar todos os dias ao seu lado, recebendo o seu abraço e um beijo seu. Encontrei meu Paraíso ou descobri que nessa terra existem anjos. Você não tem ideia do quanto agora sou feliz. Quero mostrar pra você toda a minha alegria. Vou ir junto com você pra qualquer lugar que nosso amor possa ser visto. Vou gritar. Vou espalhar. Vou proclamar meu amor por ti. Não haverá limites para nada que conte comigo e contigo. Eu te amo, doce Ângela. Doce Angel. Doce anjo. Anjo meu.

Sherman Cainampos
Para a coluna Dezembro Sentimental

quarta-feira, dezembro 18, 2013

Dezembro, sentimental - 'Musica canção' por Robson Daniella

Musica Canção

Não estamos prontos pra acender as luzes


Eu te amo.. tanto
Você não pode ir embora.
Eu te amo.. e agora
E se você for embora?

Meu amor por você, ultrapassa os limites
E eu não consigo entender..
O meu coração não mais forma elites,
Ainda tenho muito o que aprender.

Eu te amo.. tanto
Você não vai embora
Eu te amo.. e agora
Não vou te deixar ir embora.

É no escuro que as coisas são feitas
Você já sabe a força que as trevas tem.
Formamos idéias, criamos matérias
Então deixa.. no escuro as coisas se mantem.

sexta-feira, dezembro 13, 2013

Dezembro, sentimental - "Sou um monstro que nasceu numa Sexta-feira treze" por Miguel Rodrigues

Sou um monstro que nasceu numa Sexta-feira Treze


  Eu tentei consertar as coisas, mas foi impossível pra mim, afinal de contas, eu que destruí.
  Aqueles dois começaram a namorar e, desde o principio eu não aceitei aquilo, o Max era e vai voltar a ser meu amigo, ele pensa que consegue viver sem mim, mas ele sabe que eu sou "os pés e as mãos dele".
  Tá, eu pisei na bola, o que eu fiz foi muito cruel, na verdade nem foi tanto assim, já que eu livrei ele de uma menina que não daria o prazer necessário que ele merece.
  Sabe, quando temos uma amizade forte que já dura bastante tempo, sabemos o que é melhor para o nosso amigo, eu e o Max nos conhecemos desde quando nascemos, ou quase isso, crescemos juntos, estudamos juntos, fizemos muita coisa juntos, praticamente o que é meu é dele e o que é dele é meu, sempre fomos muito achegados, mas aquela garota estava separando a gente.

  Ah, o Max não parava de falar nela, me dava sono e me crescia tédio, ele estava apaixonadão, retardado, aquele amor estava fazendo mal a ele, vivia no mundo da lua, e eu estava cansado de não ter mais a atenção dele.
  Resolvi aproveitar a oportunidade, afinal de contas, quando a oportunidade chega perto devemos agarrá-la. Então, eu resolvi convidar a moça para sair, para que eu pudesse conversar com ela, ela aceitou de boa porque sabia que eu e o Max eramos fortes amigos. Fomos a um barzinho muito chique, e lá ela tagarelou, tagarelou e tagarelou, acabei descobrindo que ela era fácil de persuadir, e fiz ela beber vários copos de Whisky, Vodca e até Tequila, aquilo sairia muito caro, mas valia o preço. Depois dela ter ficado  bêbada o bastante, eu disse que a levaria pra casa, ela hesitou, mas aceitou.

quinta-feira, dezembro 12, 2013

Dezembro, sentimental - "Fodidos" por Caio Caique Campos

Fodidos

  Minha vida com ela não tem tanto tempo assim quanto parece, só nos conhecemos tem três anos mas que parecem ser mais de mil.
  Sempre brigamos, ela tem defeitos que me é impossível aceitar, quanto a mim, ela não me tolera. Acho que ela tem inveja de mim, mas não posso afirmar que eu não tenha inveja dela. Não é que eu queira ser como ela, nunca quis ser como ninguém, principalmente como ela, como disse Severo Snape sobre Potter á Sirus Black, digo para você sobre ela: "é tão arrogante que criticas simplesmente resvalam nele" (ou seja, nela).
  Nunca conheci garota mais arrogante, egocêntrica, egoísta, boca-suja e "coitadinha" como ela. Sempre se gaba, dizendo que consegue fazer as coisas. Pra ela, ninguém é melhor no que ela faz. Fazemos curso de teclado e violão juntos, a metida sempre mostra mais do que o professor pediu, os acordes que ela escolhe sempre são os mais complicados, e adora confirmar que sabe dedilhado, o professor a elogia, mas eu sei que ele acha ela um porre, eu fingo que fico chocado, a elogio também e até bato palmas, mas no fundo eu estou pensando no quanto ela é insuportável. Nas aulas de violão, mesmo que ela esteja somente há quatro meses enquanto eu já estou há quase dois anos, ela sempre quer apresentar trabalho, e sempre fala para o Laco - o professor de Violão - garantir pra ela uma posição especial no recital do estúdio.

quarta-feira, dezembro 11, 2013

Dezembro, sentimental - "Você me faz mal, mas eu necessito de você!" por Gabriela Soledade

 "Você me faz mal, mas eu necessito de você!" 


   Quanto tempo faz que eu te conheço? Eu lembro, você não lembra.
   Quero que você recorde a nossa primeira conversa, aquela em que falávamos de "salsichas" e o quanto elas são más para a saúde. Na verdade, você dizia que salsicha te fazia mal, mas que você precisava come-las na hora do seu almoço quando o tempo não te ajudava a preparar algo melhor. Eu discordava dessa sua atitude, mas não conseguia me expressar como você se expressava, eu ficava sem jeito, tão sem jeito que bati no carrinho de compras d'uma mulher chata e gravida, sim, nossa primeira conversa foi numa casa de frios.
   Quero que você recorde todas as nossas conversas via 'sms', aquelas que discorríamos sobre temas polêmicos, sempre expondo nossas opiniões um pro outro - o único jeito que eu encontrava para poder me expressar bem com você, fora isso, sempre ficava envergonhada -. Não podíamos ficar de "lero-lero", muitas vezes estávamos ocupados, você na faculdade e eu no trabalho, mas sempre corríamos o risco. Era necessário.
   Quero que você recorde o dia em que nos tornamos íntimos, e que perdi a vergonha de falar contigo frente á frente. Foi naquela fez, na festa de confraternização do Grupo de Louvor da Igreja, quando eu estava ruim e você me deu seu colo-amigo e acabei contando tudo o que me deixava pra baixo. Dali por diante, acho que nossa amizade se fortaleceu, e até hoje somos amigos.

terça-feira, dezembro 03, 2013

Neurônios Malucos!

   Eu não deveria sentir isso, mas estou preocupado com ela.

   Era para termos uma relação apenas de "dependentes" - eu "dependo" dela e ela "depende" de mim - deveria ser apenas uma preocupação egoísta - só me preocupo com ela se puder me afetar, ou, ela só se preocupa comigo se puder afetá-la. - Mas não está sendo assim.

   Ela já me fez tão mal, e eu já a deixei bastante irritada e cheia de dor de cabeça, nunca estive nem ai, mas agora não fui eu, então o que foi?
   Estaria eu me preocupando com ela por simplesmente não ser eu a causa de sua abatidão? Estaria eu me preocupando com ela por certamente eu gostar dela, bem lá no fundo? Ou será que essa é uma preocupação egoísta da minha parte?
   Agora, analise você.. essa mentalidade..este questionamento.. não é tudo meio amalucado?
   
   Neurônios Malucos!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...