Está voltando!

Aguarde novo conteúdo.
Em Julho!
Blog em reforma

quarta-feira, abril 02, 2014

Resenha: Ratos (Mice) - de Gordon Reece 9/43 de 2014 - Minha leitura


"Quando um gato invade a toca de um rato, ele não vai embora sem fazer mal nenhum. Eu sabia como aquela história terminaria. Ele me estupraria. Ele estupraria minha mãe. E nos mataria"
Página 61


   FAZEM MENOS DE 30 minutos que eu conclui a leitura desse livro e me sinto orgulhoso (31.Mar). Meu orgulho não é pelo livro ter sido perfeito, surpreendente, o máximo, mas porque eu não tive nenhuma suspeita de como terminaria, a toda hora eu pensava que algo viria a voltar tudo a como era antes, no inicio, mas, esse livro é o espelho da realidade, não foi escrito como mera ficção.

   SHELLEY ERA UMA rata, como muitos são na nossa realidade, alguém que sofre calado, que é covarde demais para dizer chega, para dar um basta no sofrimento, que se esconde nas ruínas obscuras para fugir da luz que pode a revelar para os maus, os perversos, os superiores.
   NÃO DIFERENTE DE sua mãe, uma advogada que foi usada pelo seu ex-marido, e jogada fora, antes advogada reconhecida, agora advogada mal paga mas que trabalha bem, fazendo o trabalho de todos e sofrendo grosseria de seus chefes que se aproveitam dela.

   RATAS, ERAM RATAS:

   CHALÉ MADRESSILVA, O  lugar onde Shelley e sua mãe se escondem para viver longe de tudo e de todos: "estava ali, o som mais maravilhoso que existia: a total ausência de som". Mas como pensar que viveriam protegidas longe de tudo? Não seria o local mais fácil para bandidos roubarem? Longe de tudo e de todos onde não haveria vizinhos bisbilhoteiros que os atrapalhariam?
   E FOI O que aconteceu, o Gato chegou na toca dos ratos, para brincar de "dança das cadeiras", e acabou perdendo. "Até os ratos têm um limite". 
   SE NO NOSSO interior, algo espera para ser libertado, uma hora se soltará como uma fera de dentes afiados, e tudo o que Shelley e sua mãe haviam sido obrigadas a aceitar na vida, chegou ao auge e quebrou todas as correntes. O medo já não existia, o ódio tomara o lugar dele. E os ratos, deixaram de ser ratos.

   Eu me identifiquei com o livro, claro que sim, também tive uma vida de rato que fui obrigado a aceitar. Quem já não foi rato? Alguém diga por favor? Mas é como eu sempre digo: "Quando uma pessoa sofre demais, acaba aprendendo a fazer os outros sofrerem, e quando aprende, a pessoa muda" Leia. Esse livro não é mera ficção, mas meras coincidências, pode ser. Recomendo que leia.

Meus Links: 



Outros Quotes:

"... mas foram necessários meses de bullying até que eu finalmente compreendesse que eu era aquilo: um rato, uma rato humano" Página 33

"Eu não tinha dúvida do que escutara e do que seria: havia alguém na casa" Página 60

"Eu já não seria vitima de ninguém. Nunca mais" Página 237



7 comentários:

  1. Acho que vou sentir a mesma identificação que você sentiu com o livro. Quero muito ler "Ratos", to aceitando de presente rsrs.
    Até mais, e bela resenha, muito bem escrita.
    http://realidadecaotica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia sim, Renato! Acho bem difícil alguém nunca ter sido rato ou têm sido rato em alguma ocasião da vida.

      Não sei muito bem como reagir á elogios, nunca soube, mas obrigado!

      Excluir
  2. Nossa Byel, esse livro parece ser muito tenso! Fiquei chocada com o quote que vc colocou, imagina o livro todo!

    http://maisumapaginalivros.blogspot.com.br/
    Mais Uma Página

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Livro nos dá um sentimento de raiva, talvez de ódio, até pela "ratanhagem" das protagonistas.

      Excluir
  3. Ainda não li esse livro, mas já estou de olho há muito tempo. Pela resenha, notei que mais uma pessoa amou o livro (meu parceiro no blog também leu e gostou muito). Assim que tiver a devida oportunidade, o lerei.
    Adorei a resenha, bem elaborada. ^^

    Até mais ver,
    Pedro S.
    De Cara Nas Letras

    ResponderExcluir
  4. (escrevendo esse comentário pela segunda vez porque dá primeira eu esqueci de digitar o código e fechei a pagina achando que tinha ido.)
    Esse livro me parece ser bastante instigante, e por sua resenha posso confirmar isso. Meu parceiro no blog já o leu e teve basicamente as mesmas impressões que você. Assim que eu tiver a devida oportunidade o lerei, pena que tenho tanta coisa na frente que fica complicado.
    Ótima resenha, bem elaborada.

    Até mais,
    Pedro S.
    De Cara Nas Letras

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hello, Pedrão! Bom, apenas coloque o livro na sua lista, sei que tu tem muitos livros, mas na hora certa ele vai te chamar com mais força e fazer você ir direto para ele. Cada livro tem seu tempo! Mas leia-o.

      Excluir

- respondo a todos os comentários;
- deixe seu link, afinal, curto muito visitar outros blogs e ler postagens;
- comentários de anônimos só serão aprovados mediante identificação;
- á primeira menção de grosseria, aguente as consequências.

____________________________________________________________________El Costa

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...