Aviso importante!

Blog em reforma!

95 das 230 postagens já foram revisadas e já estão disponíveis na linha do blog.
As revisões continuarão!
Por enquanto, as demais postagens seguem alteradas para rascunho e serão publicadas assim que forem sendo revisadas.

Nesse mês de Abril de 2018 ocorrerão as novas atualizações do blog.



Última atualização: 27/Abril/2018 - 12h33



terça-feira, janeiro 21, 2014

#Resenha - A Culpa é das Estrelas (The Fault in Our Stars) - John Green


"-Alguns infinitos são maiores que outros"

Hazel Lancaster é uma paciente terminal diagnosticada com Tireoide com metáfase nos pulmões. Uma adolescente com uma vida monótona, sempre em companhia da mãe e de uma cânula - tubos de oxigênio que a ajudam a respirar -. Leitora assídua, apaixonada por um livro chamado Uma aflição Imperial de seu escritor de um livro só, Peter Van Houten.

Hazel frequenta um Grupo de apoio, que ela chama ironicamente de O Coração literal de Jesus, e é lá que, em certo dia, ela conhece Augustus Waters e suas vidas começam a mudar completamente.

"Na boa, vou logo dizendo: ele era um gato. Se um cara que não é gato encara você sem parar, isso é, na melhor das hipóteses, esquisito, e na pior, algum tipo de assédio. Mas se é um cara gato.. na boa.." Página 16

Gus aparece no Coração literal de Jesus, pela primeira vez, para acompanhar seu amigo Isaac que estava ficando cego. Mas em contrapartida, apenas Isaac estava ficando cego, porque Hazel e Gus estavam enxergando muito bem, na verdade, estavam SE enxergando muito bem. Sem tirar os olhos um do outro.

"-Ai, meu Deus. Já vi o Augustus em festas. As coisas que eu faria com aquele cara, quer dizer, não agora que sei que está interessada nele. Mas, meu Deus do céu, eu montaria naquele ponei perneta e daria uma volta inteira no curral." Página 91

Augustus Waters teve osteosarcoma e por isso precisou ter sua perna amputada e no lugar tela, usa uma perna falsa. Ama jogar video-games e costuma colocar um cigarro na boca, mas sem acendê-lo. É como usar uma coisa que pode te matar, mas sem deixar ela te matar.

Hazel e Gus começam então a ter uma amizade que vai ficando cada vez mais confusa e amorosa, e quando Hazel apresenta o seu livro favorito, o Uma aflição Imperial, ela  também revela que gostaria muito de poder saber mais sobre o livro do autor de um livro só, Van Houten.

A partir dai, Gus decide, após ler o livro e ouvir a vontade de Hazel, que precisam ir ao encontro do escritor. Ele então consegue contato com a assessora de Van Houten e consegue levar Hazel para Amsterdã com ele para cumprirem a vontade de falar com o Autor. Claro que a mãe da menina vai junto. E é em Amsterdã que tudo começa a acontecer.. até o desapontamento.

"As vezes as pessoas não tem noção das promessas que estão fazendo no momento em que as fazem" Página 61

"-É por isso que gosto de você...... Você está tão ocupada sendo você mesma que não faz ideia do quão absolutamente sem igual você é" Página 17

Nota:

Ler A Culpa é das Estrelas não foi como eu esperava que fosse. E isso só firma mais a ideia de que a gente não pode criar muitas expectativas, porque assim fica mais propenso a se decepcionar.

Sobre as promessas da capa:


"Você vai rir" - Sim, eu ri em vários momentos. Principalmente com os comentários da amiga de Hazel, Kaitlyn.
Os personagens são bastante reais, pra falar a verdade. E os diálogos são simples. Quanto as partes engraçadas: não tem nada muito forçado.

"..vai chorar" - Não. Eu não chorei. Talvez eu até tenha sentido um aperto no peito. Mas chorar, não.
Muitas pessoas disseram que se acabaram no choro lendo esse livro, mas eu não vejo como jorrar rios com ele. Achei certas partes muito, ou bastante, apelativas. E eu não sou do tipo que gosto de apelação.

"..e ainda vai querer mais." - Não. Completamente, não. Na realidade, eu li o livro bem rápido porque não via a hora de que ele terminasse ou aparecesse algo que me empolgasse mais. E a viagem para Amsterdã, foi entediante.


É claro que não posso dizer de todo negativo sobre o livro.

Quando ele começava a deixar os excessos inúteis e/ou apelativos e dava lugar á cenas mais interessantes e reais, a história começava a ter um sentido gostoso que, com certeza, salvaram o livro.
No final, da até pra sentir saudades dos personagens. Mesmo que alguns deles não tenham sido tão bem explorados, afinal, a exploração ficou mesmo só para os protagonistas, e eu não acho que esteja errado, mas não é confortante.

Sobretudo, essa resenha vem de alguém que prefere livros de Terror a livros melosos.. e/ou apelativos.


Estrelas se referem a destino? Será que a culpa é mesmo das estrelas?




2 comentários:

  1. Eu gostei bastante desse livro, Gabryel!
    A princípio fiquei meio receoso, já que não é bem o tipo de leitura que eu gosto. Acabei lendo por causa da minha noiva (na época era namorada), que é viciada nesse livro, aí eu fiquei curioso e resolvi ler pra ver se era isso tudo mesmo. E é.

    Mudei completamente minha forma de enxergar o mundo, a vida e deu pra entender um pouquinho do que é a visão de uma pessoa nessa situação. Assim como o livro Diário de Uma Fênix, do meu amigo Juliano Gouvêa, A Culpa é das Estrelas tem em sua história uma forma de sofrimento seguida de um tipo de aceitação da situação em que os personagens se encontram. E isso é um amadurecimento que temos que alcançar na nossa existência.

    Também fiz um tipo de resenha sobre esse livro no meu blog, na época em que li. Se você quiser conferir, pode ficar à vontade. Parabéns pelo blog e pelas resenhas. Estou lendo sempre que possível.

    http://reminiscencialobo.blogspot.com.br/2014/02/sobre-culpa-e-das-estrelas-john-green.html

    ResponderExcluir
  2. Curti muito seu comentário e sempre fico feliz em saber como um livro mudou a vida de alguém! Já conferi sua resenha e curti muito, mas minha opinião quanto ao livro continua sendo como "não foi tudo aquilo que eu esperava". Abraços, Lobo!

    ResponderExcluir

- respondo a todos os comentários;
- deixe seu link, afinal, curto muito visitar outros blogs e ler postagens;
- comentários de anônimos só serão aprovados mediante identificação;
- á primeira menção de grosseria, aguente as consequências.

____________________________________________________________________El Costa