Está voltando!

Aguarde novo conteúdo.
Vem Abril!!!

domingo, julho 03, 2016

#MalucoPorTeatro - Sonho de uma noite de verão, no Parque, com Cia Novelo

   Desde muito pequeno eu ouvia pequenos assuntos sobre a estória de Hipólita e Oberon, mas só depois que entrei no teatro que tomei conhecimento de que tal maravilhosa estória é, na verdade, uma peça teatral escrita por William Shakespeare.

   Sabendo disso, consegui perder duas montagens na mostra da escola de teatro que frequento, mas, com a mais perfeita honra, tive a oportunidade de assistir DUAS VEZES a maravilhosa montagem da Cia Novelo numa temporada no Parque Trianon na Paulista.

quinta-feira, maio 26, 2016

#PostagemDeCelular - "O Tempo dá antes de tomar", Alice através do espelho.


Apaixonado pelo mundo de Lewis Carrol, fissurado por Jhonny Depp e influenciado pelos roteiros de Linda Woolverton, eu não poderia perder a estreia de Alice Through The Looking Glass de jeito algum.

Não é apenas entretenimento porquê ensina e deixa a gente sair diferente. Não dirigido por Tim Burton, mas por James Bobin, o filme entrou pra minha lista de MELHOR FILME das minhas duas décadas.

"O tempo dá antes de tomar"

Englobando assuntos como família, amizade, passado, presente e futuro, tudo numa intensidade de até arrancar lágrimas de sentimento, essa aventura se torna impactante para alguns e apenas passatempo para poucos. Tudo muito bom como Johnny Depp.

Postagem de Instagram



sexta-feira, maio 20, 2016

[Foto Resenha] O Palácio da Meia-Noite (El Palacio de la Medianoche), de Carlos Ruiz Zafón (Editora Suma de letras)

   Foram duas semanas tendo Zafón como campanhia no caminho até o Teatro. 
  "O Palácio da Meia-Noite" não foi apenas a melhor narrativa que li nos últimos 12 meses, mas também muito importante por me fazer voltar á minha habitualidade de ler com(im)pulsivamente.




   É a primeira vez que leio, de verdade, um livro do Zafón, já até havia me aventurado em "Marina" - outro livro do autor -, mas cheguei a não terminar por falta de tempo.
   O ingrediente principal que Ruiz Zafón usa nesse e em outros de seus livros faz o leitor se sentir envolvido e, por pura sorte do destino, ganhei toda a coleção de infanto-juvenis do autor (O Principe da Névoa, 1993; O Palácio da Meia-Noite, 1994; e As luzes de Setembro, 1995) que, com certeza, vou me aventurar em breve.
   Podem haver alguns buracos que não foram tampados na história de "O Palácio da Meia-Noite", mas o final do livro apaga todas as implicâncias desnecessárias que o leitor pode criar pra trama. No entanto, basta você ler o primeiro capítulo do livro que logo ele implicará com você que deve ser lido até o final. Uma premonição? Você o lerá. Se assim não acontecer, você poderá se sentir, digamos, incompleto.
   Então se não vai lê-lo inteiro, é melhor nem começar.


sábado, abril 23, 2016

#Tag 16 - Star Wars

   Três considerações rápidas:

  •    Não conheço nada de Star Wars;
  •    A ultima TAG que respondi faz um ano;
  •    Obrigado, Rudi, por acreditar em mim e continuar me indicando tag's;

   Vou ser rápido nas respostas.

domingo, abril 17, 2016

Saiu voando...


Tempo perdido é tempo que não traz nada de útil.
Inútil é aquilo que não teve utilidades para nada.

Gostaria de saber se todos esses meses, perdido nos meus "des"fazeres, eu estive vivendo um tempo útil ou um tempo inútil.

Vivendo cada dia um "des"costume, desde aquele agosto ou julho que me mudou.

Gostaria de ver de fora o que mudou em mim, porque aqui dentro eu já não me conheço bem.

Não sei se sou cobra ou anjo.. se sou homem ou ainda menino.. se sou feliz ou se apenas estou achando que sou.

Minha vida saiu voando.

Preciso descansar.

Preciso mudar minha vida, já que ela escondeu de mim o que eu realmente sou.


Texto: Saiu Voando
De: El Costa

quarta-feira, março 16, 2016

Eu tenho, agora eu tenho! o #10 - Revival, de Stephen King

 
   Serão trezentas e setenta e três (373) páginas com, talvez, uma narrativa que emperre, mas uma esperança de densos e tensos momentos de tirar o folego. Porém, o que aguardo mesmo é um desfecho onde tudo faça, ao menos, parecer que tudo o que li fez sentido para seu final.

   Em 13 de Fevereiro, na Cia dos Livros do Shopping Butantã, por R$49,90 eu estava adquirindo meu novo xodó!


" "A ideia para este livro está na minha cabeça desde que eu era criança. Frankestein, de Mary Shelley, foi uma grande inspiração para mim. Eu queria criar uma história o mais humana possível, porque a melhor maneira de assustar o leitor é fazê-lo gostar dos personagens. - Stephen King em entrevista para a revista Rolling Stone.""

   Anseio por estar em Revival. 
   Breve saberei como foi estar em Revival.

sexta-feira, março 11, 2016

Eu quero! Eu juro que quero! #10 - Revival, de Stephen King

  Stephen King ainda continua sendo o autor que mais me intriga e me fascina, tanto que, sempre que estou numa livraria, o primeiro livro que vejo identificado com o nome do Stephen me faz correr até sua estante, pegá-lo, abri-lo e se possível ler o máximo de páginas que consigo.

  Foi numa dessas atenções concentradas que fui chamado por uma capa incrível e um nome "REVIVAL".

  Como não querer ler um livro em que o próprio autor comentou que foi um dos livros mais assustadores que já escreveu? Mas essa não é a unica coisa enlouquecedora. Revival promete aos leitores que iniciarão sua leitura um final deslumbrante e de um impacto intenso.
  Disseram-me que o inferno é um paraíso perto do que Revival sugere.

  Eu quero Revival, eu juro que eu quero Revival


Acompanhe comigo esse processo.
Próximo passo: Comprar Revival.. e lê-lo.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...